Guias

quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Panquecas Verdes de Espinafre com Frango e Molho Béchamel

    Finalmente um post com receita salgada! E desta vez trata-se de uma receita de panquecas verdes feitas com espinafre, recheadas com frango e cobertas com molho béchamel, bem leve!


   Nunca postei a receita das panquecas que minha mãe e avó costumam fazer, mas aqui fica a dica: a  receita que passarei hoje sem o espinafre é uma base para preparar a massa comum branca ou essas coloridas feitas com vegetais frescos. Você pode trocar a quantidade de espinafre por cenoura, tomate (sem pele e sementes), beterraba, couve... ou usar farinha integral. Esta última dica eu nunca fiz então não tenho certeza se as massinhas realmente ficam com a mesma textura das feitas com farinha comum.


    Quanto ao recheio, o frango desfiado é apenas uma opção que eu deixo aqui para vocês, mas isso não quer dizer que vocês não possam usar atum, queijos frescos, carne ou embutidos. O frango desfiado que eu usei é bem simples de fazer, apenas cozido em molho de tomates e ainda leva milho verde. Bem leve e sem excesso de gordura.


   Cobri minhas panquecas verdes com molho béchamel por achar que combinava mais. Usei leite desnatado e as quantidades de farinha e manteiga nem são tão exageradas. Caso você não esteja ligando muito para as calorias, indico acrescentar um pouco de creme de leite ao molho já pronto, fica bem melhor! E também salpicar bastante parmesão sobre as panquecas antes de servir.


   Uma receita rendeu 20 panquecas, que podem ser congeladas já recheadas. Na hora de comer, basta deixar descongelar dentro da geladeira, aquecer e cobrir com o molho que você quiser!


quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

Panna Cotta de Iogurte com Gelatina Natural de Morango

    Comecei 2015 decidida a mudar meus hábitos alimentares, já que fazer gastronomia me rendeu uns bons quilinhos a mais... Sem contar que com as viagens e o fim de ano, os excessos de gordices foram ainda maiores. Estabeleci que a partir de agora os finais de semana terão uma sobremesa mais light e outra normal ao invés de bolo na sexta, pão no sábado e ainda uma sobremesa gordice no domingo como era antes. Para o primeiro final de semana: Panna Cotta de Iogurte com Gelatina Natural de Morango.


   Sempre tive vontade de fazer Panna Cotta e achei que ela seria uma ótima sobremesa para esses dias quentes, mas como a receita original leva creme de leite fresco e açúcar, achei melhor investir numa versão light e natural, trocando a tradicional calda de acompanhamento por uma gelatina natural de morango.


    No lugar do creme de leite usei iogurte grego desnatado. Para adoçar, prefira mel, mas como não tinha em casa tive que usar adoçante mesmo. O legal também é tentar comprar o iogurte grego natural, sem qualquer adição de adoçantes e se você quiser pode colocar outros tipos de leite (coco, arroz, aveia, amêndoas).


    E fazer gelatina natural é a coisa mais fácil que existe! Basta bater a fruta que você quiser com um pouquinho de água, acrescentar a glatina incolor dissolvida e adoçar a gosto, caso seja necessário. Dá para fazer com qualquer fruta, como morango, framboesa, mirtilos, amoras, manga ou goiaba (neste caso é necessário coar).


   Uma camada de gelatina sem corantes, com o sabor natural da fruta e ainda com direito a sementinhas de morango e outra de panna cotta com sabor de baunilha e mel.

sábado, 17 de janeiro de 2015

Gâteau Magique au Chocolat ou O Bolo Mágico de Chocolate

    Esta onda ainda não chegou aqui no Brasil, mas nesta semana pude acompanhar no Instagram e vários canais do You Tube franceses, entre outros blogs e sites de revitas de gastronomia, esta receita de bolo bem diferente. Fiquei com tanta vontade de comer este tal bolo que até cancelei as sobremesas deste final de semana que já tinha planejado.


   É o Gâteau Magique, ou Bolo Mágico em português, um bolo que depois de assado fica com três camadas de texturas diferentes: uma espécie de flan bem firme na base, um creme consistente no centro e uma genoise/pão de ló na superfície.


   O tradicional é de baunilha, todo branco, mas como eles estão fazendo o maior sucesso na França, já começam a surgir as variações, como o de chocolate, caramelo salgado, creme de castanhas portuguesas, nutella, coco, castanhas... e por isso escolhi fazer o de chocolate para ver se dava certo mesmo. Aliás, foi o que mais me chamou a atenção pelas fotos.


   Assisiti vários vídeos no You Tube (basta procurar por gâteau magique que você vai ser bombardeado com várias receitas), dei uma olhada em blogs pelo Google, comparei as receitas, mas acabei escolhendo a do blog Coco e Baunilha (o único que trazia a receita em português para ficar mais fácil para vocês), mas todas são muito parecidas. A única coisa diferente que fiz no meu bolo foi acrescentar um ovo a mais, já que os que eu tinha em casa eram muito pequenos, e esquecer de acrescentar os 30 ml de café que ia na massa. 


   De qualquer forma, o bolo deu super certo e ficou realmente com as três camadas de texturas variadas, só achei que ele não fica tão doce, talvez por ser uma receita francesa. Não é mesmo uma mágica?


sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

Bolo Pamonha

        
   Que tal aproveitar o tempo do milho verde e a moda dos bolos caseiros para fazer um Bolo Pamonha? 


   Esta receita estava anotada num caderno da minha mãe já fazia muito tempo, tanto que ela nem sabe mais de onde pegou, mas o fato é que um dia desses ela resolveu fazer para ver como ficava. Gostei bastante do resultado final do bolo e achei que seria legal postar aqui para vocês.


   Você não vai levar mais do que 10 minutos para preparar a massa, já que ela é feita no liquidificador. Na verdade a receita original leva milho verde em lata, cozido no vapor, o que diminui ainda mais o tempo de preparo, mas acho que se você usarr as espigas de milho frescas, o resultado será melhor ainda!


   O bolo não é para ficar com uma massa sequinha e fofinha como os bolos comuns, este aqui fica cremoso e bem compactado, lembrando bem uma pamonha. Então fique de olho no tempo de forno, para ele não acabar queimando ou ressecando, ele deve sair mais branquinho mesmo.


    Café da tarde de um dia de calor intenso (como os que têm feito ultimamente) com um pedaço de bolo caseiro de pamonha bem geladinho não tem preço!


sexta-feira, 9 de janeiro de 2015

Pound Cake de Frutas

   Sexta-feira aqui em casa é dia de bolo e por isso decidi postar esta receita de Bolo Inglês (ou Pound Cake) que estava parada na caixa de rascunhos já fazia um bom tempo. Era para ter saído antes do Natal, mas acabei não tendo tempo de editar o post. 


   Pound Cakes são bolos que foram criados na Inglaterra por volta do século XVII e levam este nome por serem preparados basicamente com 1 pound de manteiga, 1 pound de açúcar, 1 pound de farinha de trigo e 1 pound de ovos. Pound é uma medida que equivale a 453 g e devido a proporção dos ingredientes da massa, na França este bolo é denominado Quatre-quarts (ou quatro-quartos).


   Ao longo dos anos, esses bolos foram sofrendo adaptações, como acréscimo de frutas secas, cristalizadas, castanhas, especiarias ou até mesmo bebidas, sucos, mais açúcar e fermentos para contribuir com um melhor crescimento da massa. Trata-se de um bolo super macio e amanteigado e que por isso pode ser acompanhado por geleias, frutas frescas ou servidos grelhados, como torradas.


   Na Inglaterra é até hoje um ícone com presença marcada no "afternoon tea" ou o famoso chá das cinco inglês. Minha versão é uma mistura entre receitas de livros ingleses e daquilo que aprendi durante as aulas de café da manhã na faculdade.


   E se você não curte muito frutas cristalizadas e uvas passas, pode trocá-los por qualquer outro tipo de fruta seca ou castanha ou ainda fazer um Pound Cake com gotas de chocolate.

domingo, 4 de janeiro de 2015

Bacalhau Espirituoso do Claude Triosgros

   Respost: Voltando agora ao normal! Depois de praticamente um mês fora de casa e por causa da correria com as festas de fim de ano, finalmente vou tirar um tempo para colocar as receitas e posts das viagens em dia. Para este primeiro post de 2015, venho atualizando as fotos do Bacalhau Espirituoso do Claude Troisgros.


   Já fazia uns dois anos que tinha feito este prato então escolhemos ele para compor nossa última refeição de Ano Novo. Trata-se de uma receita bem simples, até porque leva ingredientes que sempre temos na cozinha, como cebolas, alho, cenoura, pão velho, leite, queijo e o principal, o bacalhau.


   Só é preciso refogar os vegetais, acrescentar o bacalhau e um pouco pão amanhecido umedecido em leite para dar liga e a brandade já está pronta para ser colocada num refratário. Depois é só cobrir tudo com um molho béchamel feito com o líquido de escaldo do bacalhau, polvilhar bastante queijo ralado e levar para gratinar.


    O melhor acompanhamento para o Espirituoso seria uma salada de folhas verdes e fatias de pão tostado com azeite e alho!


sábado, 27 de dezembro de 2014

Bolo Churros

   Com a correria do fim da viagem e com a chegada das festas de fim de ano acabei atrasando os posts da viagem, mas para não passar mais um dia sem postar algo aqui para vocês, hoje venho com uma receita de Bolo Churros que fiz já faz algum tempo.


   A moda do Bolo Churros pegou mesmo e apesar de existirem aqueles que são contra essa denominação, não podemos negar que além de super fácil de fazer, este é um bolo bem diferente e super gostoso. Minha versão seria inicialmente feita em formato de mini bolos só que no final acabei também com um bolo redondo maior recheado.


   Acabei criando a minha própria massa de bolo churros, já que as que existem por aí na internet não me agradaram tanto. Ela ficou bem fofinha, dando tanto para assar nas versões mini bolo/cupcake ou bolo grande de "vó"/recheado e de ingredientes diferentes só levou açúcsr mascavo e canela em pó.


   Para deixar ainda mais próximo de um churros, banhei levemente cada um dos mini bolos ou dos discos de massa (no caso do bolo recheado) em uma calda de açúcar com rum e baunilha e depois passei em açúcar cristal com canela. Isso deu um toque todo especial no final, pois além do gostinho da canela, ficou com aquela textura meio crocante do açúcar.


   Para finalizar e terminar de caracterizar o churros: bastante doce de leite, que deve ser bem cosistente para não acabar vazando!


quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Montmartre

   Domingos em Paris podem ser sem graça, principalmente no inverno. Nenhuma loja abre, poucas padarias e restaurantes funcionam e mesmo os supermercados fecham. Por isso, para o domingo passado, planejei uma visita ao bairro do Montmartre, onde está localizada a basílica do Sacré-Coeur.


terça-feira, 16 de dezembro de 2014

Circuito de Lojas de Utensílios de Gastronomia

   Neste post venho com um circuito bem legal de lojas de artigos e utensílios de cozinha no Les Halles. Indico que você desça na própria estação Les Halles para aproveitar também as lojas do Forum Les Halles, um shopping que fica dentro da estação e que tem lojas de diversas marcas conhecidas, como Bershka, Naf Naf, Aldo, L'Occitaine, Sephora, H&M, Fnac, Etam, Zara, só para citar algumas. E também a Maisons du Monde que também vende bons artigos de deçoração para a cozinha e onde comprei a caneca e a bandeja de docinhos do post anterior.
   Saindo de lá indico uma caminhada pelas ruas Montmartre, Tiquetonne e Montorgueil



domingo, 14 de dezembro de 2014

Aula de Baguettes e Fougasse em Paris e mais algumas boulangeries

   Como já deu para perceber nos meus posts sobre viagem, na maioria das vezes dou dicas de lugares para comer coisas rápidas ou para comprar bons pães e doces. O motivo disso é o fato de não conseguir encontrar com facilidade bons croissants, baguettes e doces típicos no Brasil e viajar então é a oportunidade para enjoar deles!

Bastille, Place des Vosges e Croissant Blé Sucré