Guias

quarta-feira, 26 de novembro de 2014

Salada de Batatas com Maionese Artesanal de Leite e Ervas

   Sempre cai muito bem uma saladinha para acompanhar as refeições nesta época de calor, principalmente se for uma clássica Salada de Batatas e se ainda feita com maionese caseira. E se você pensa que ela leva ovos crus, pode ficar tranquilo, pois na verdade ela é feita com leite!


   Sempre tive vontade de fazer maionese em casa, mas sempre rolava aquela insegurança de usar ovos crus e não via vantagem em comprar um litro de gemas pasteurizadas, até que outro dia experimentei a tal da maionese de leite. Peguei a receita e fui logo fazer quando cheguei em casa. Bom, para resumir a história: gostaram tanto dela que toda festa agora ou receita diferente que leva maionese, tenho que fazer um pouquinho.


     E o que mais gostei nesta receita é poder fazer maioneses com sabores diferentes, como alho, ervas, azeitonas, além do fato dela ficar bem mais leve e saborosa do que a original com gemas e é claro que bem melhor do que as industrializadas. Basta bater o leite no liquidificador, com sal e os aromáticos que deseja acrescentar à sua maionese, enquanto o óleo vai sendo incorporado aos poucos. Uso sempre um óleo mais neutro, como o de milho ou canola, mas um azeite aqui deixaria sua maionese ainda mais saborosa.



   Em relação a Salada de Batatas, prefiro aquelas mais sequinhas, como a Asterix ou Baraka, cortadas em cubos médios e bem macias, que depois são misturadas com a maionese, ovoscozidos, azeitonas picadas, cebola e cheiro-verde. Desta vez também acrescentei um pouco de cenoura ralada na minha salada.

sábado, 22 de novembro de 2014

Naked Cake de Dois Brigadeiros

   Só faltava este bolo para completar a saga de bolos do meu aniversário deste ano. Eu sei que a data já passou faz tempo, mas acho que sempre é hora de comer um bolo de chocolate com dois brigadeiros!


   A minha intenção inicial era fazer um bolo de dois brigadeiros com chocolates Kinder ao redor. O tempo foi passando e eu me esquecendo de comprar os Kinders. Até que resolvi fazer o bolo de dois brigadeiros num domingo qualquer do início de novembro, ou seja, um dia em que era quase impossível de comprar o chocolate. O jeito foi fazer um Naked Cake mesmo, e apenas com os dois brigadeiros.


   Queria mudar tanto a apresentação quanto a massa dos meus Naked Cakes e por isso saí me arriscando em outra receita. Não deu certo! Acho que coloquei muito fermento ou sei lá e a massa acabou vazando inteirinha da forma enquanto assava. Por fim decidi fazer minha receita clássica de pão de ló mesmo, com o único problema: meu cacau em pó tinha quase acabado com a primeira massa (é por isso que ele não ficou tão escuro).


   Já no quesito "apresentação", a intenção era fazer mini naked cakes ou bolinhos individuias. E o problema aqui foi que só tinha um aro pequeno, de 5 cm de diâmetro, e para não ter que ficar assando bolinho a prestação, fiz apenas um pequeno e com o restante da massa um pão de ló grande. Mas problemas não acabaram por aqui! Não sei o que aconteceu comigo na hora da montagem do mini naked cake, mas acabei deixando ele tão torto quanto a Torre de Pisa. Acontece! As vezes acho que é melhor nem tentar cozinhar...


   Para decorar os Naked Cakes enrolei alguns brigadeiros, tanto brancos de leite Ninho com granulados branquinhos, quanto tradicionais com chocolate e confeitos de cacau brasileiro da Mavalério, sendo que os do mini bolo eram bem menores. 


sexta-feira, 21 de novembro de 2014

Waffles Salgadas

   Mais uma vez, atendendo a pedidos, hoje venho com a receita de Waffles Salgadas, com presunto e queijo picadinhos na massa e molho branco com parmesão. E ainda servidas acompanhadas por uma salada.


   Uso para fazer minhas waffles uma receita de uma revista bem antiga da minha avó que tanto pode ser feita na versão doce quanto salgada. Para a doce, só diminuo a quantidade de sal e acrescento uns 50 g de açúcar, uma essência de baunilha ou nozes, gotas de chocolate, frutas secas, raspas de limão ou laranja. Já para as salgadas, a possibilidade de ingredientes e combinações é bem maior e mais variada.


    Normalmente coloco presunto moído com algum queijo, que pode ser provolone, minas, gouda, gruyère ou aquele que você mais gosta. Mas com salame também fica bem gostoso e acredito que com bacon em cubinhos frito também deve ficar muito bom, pois a final de contas, tem alguma coisa que fique ruim com bacon? 


    Apesar de achar que molho béchamel combina mais com elas, você pode usar outros molhos, como de tomates, rosé, feito com caldo de carne, frango, legumes, cogumelos... E você também pode optar por serví-las puras, apenas com queijo ralado, bacon crocante em cubinhos, ovo frito/poché, lascas de salmão defumado.


   Para comer no café da manhã ou brunch do final de semana... Ou também pode ser para o café da tarde ou uma refeição rápida e diferente!


quarta-feira, 19 de novembro de 2014

Cookies de Paçoca Caseira

   Não aguentei, tive que fazer também uma receita daqueles Cookies de Paçoca com Banana mais gordinhos, com bastante açúcar, manteiga, ovo e paçoca, é claro. Agora sim os Cookies de Paçoca originais, como realmente devem ser!


   Esta receita de cookies é muito fácil, e eu inclusive já postei outra versão dela aqui no blog, o único trabalho a mais que você vai ter é fazer a paçoca caseira e modelar os quadradinhos para colocar no recheio. Mas isso não quer dizer que você não possa usar uma Paçoquita, Paçoca Amor ou qualquer outra marca de paçoca pronta no lugar, para evitar muito trabalho.


   A diferença entre fazer cookies com bastante manteiga e ovos está no resultado final e na textura. Os de banana não ficaram crocantes e acabaram permanecendo com o mesmo formato de quando foram colocados no forno, redondinhos, e não achatados como os de hoje. Esses ficaram como cookies tradicionais: crocantes nas bordas e macios no centro.


   E como a massa leva amendoim, um recheio e uma cobertura de paçoca, os cookies ficam com um sabor bem intenso e característico. Eu sei que não é e nem está perto da época das festas juninas, mas eles seriam perfeitos para servir e comer durante as festas.


    Bom, também tenho que confessar que aquela minha vontade de fazer receitas mais saudáveis só durou aquele final de semana mesmo! Mas prometo que vou retomá-la esta semana, depois de fazer mais alguns desses Cookies de Paçoca!


domingo, 16 de novembro de 2014

Taça de Morangos com Creme de Leite Condensado e Bombons de Brigadeiro de Leite Ninho com Morango

   Uma sobremesa, três itens, mas diversas maneiras de montar! Camada de biscoitos quebradinhos cobertos por morangos picados e uma generosa camada de creme de leite condensado bem levinho para unir tudo.


   Ah, e ainda teve uma surpresinha para a decoração: Bombons de Brigadeiro de Leite Ninho com Morango. Na verdade a ideia da taça inteira surgiu a partir da vontade de comer esses clássicos bombons que levam um morango envolto em brigadeiro branco, que no meu caso quis incrementar com leite Ninho, e depois passado em chocolate meio amargo, para quebrar um pouco o doce.


    Montei a sobremesa dentro de um potinho de geleia com tampa. Adoro esses tipos de potinhos e acho que eles ficam ótimos quando usados em montagem de sobremesas que envolvem várias camadas com cores, texturas e sabores. Neste caso a primeira camada foi de biscoitos de aveia e mel quebradinhos, bem crocantes para cobinar com morangos azedinhos e frescos em cubinhos e um creme de leite condensado bem levinho, aerado e mais doce.


   Concordo que no final os bombons ficaram muito grandes para servirem de decoração da taça, mas valeu a pena fazer os dois juntos. Por isso acho melhor que você escolha morangos menores se for usá-los como decoração. Como os mais bonitos que eu tinha eram bem graúdos, não tive muita escolha.


   Aquele tipo de sobremesa perfeita para dias quentes e que não temos muito tempo para fazer algo mais elaborado!


sexta-feira, 14 de novembro de 2014

Pão Australiano

   Cada vez mais estou me apaixonando pela arte da panificação! Adoro cozinhar, seja uma carne, uma salada ou um doce, mas fazer pães é o que mais anda me facinando ultimamente. Acho incrível a maneira como simples ingredientes combinados podem se transformar em algo tão complexo e saboroso como um pão.


    Tanto que quase todo final de semana testo receitas de pães em casa. E como semana passada fizemos Pão Australiano na aula de panificação, testei uma versão caseira, já que a feita na faculdade levou pré-mistura. Também quis atender a pedidos antigos de uma leitora por uma receita caseira de Pão Australiano tipo do Outback. Procurando pela internet, a receita que chegou mais perto daquilo que meu professor indicou como sendo parte de uma fornulação de Pão Australiano foi do blog Prazer do Pão.


   Mas o maior problema quando tratamos de Pão Australiano com formulação caseira é a eterna mania de comparar o resultado com o do tradicional e tão famoso pão do Outback. Não que este caseiro não fique bom, o que acontece é que a mistura pronta vai chegar muito mais perto do resultado original, até porque deve ser ela que os caras do restaurante usam para fazer seus pães. 


    Esse é tipo um pão com massa bem densa e rica, por isso leva um pouco mais de tempo para crescer. Além da farinha de trigo e do fermento, ainda leva farinha de centeio, farinha integral, cacau em pó, mel e açúcar mascavo e, depois de assados, fica com sabor e aroma bem intensos e com uma cor bem escura. Acho que vale a pena ressaltar o tipo de farinha de trigo a ser usada, pois ela deve ter no mínimo 13% de proteína. Se você usar a comum, seu pão não ficará tão estruturado, então tente procurar a farinha para panificação em lojas de produtos importados ou empórios, pois ainda não existe nenhum fabricante brasileiro que a comercialize em pequenas quantidades (1 kg está em torno de R$ 8,90).


   E é claro que a gente não pode se esquecer de polvilhar fubá na superfície dos pãezinhos antes de irem para o forno! 

sábado, 8 de novembro de 2014

Medalhão de Mignon com Bacon

   Hoje o almoço de domingo é uma receita clássica: Medalhões de Filé Mignon com Bacon! E para acompanhá-los, um Arroz com Ervilhas Frescas que por sinal já postei outras vezes aqui no blog, mas que desta vez foi incrementado com queijo Gouda.


   Os medalhões são super simples de fazer, pelo resultado final até parece ser difícil, só que a única coisa mais trabalhosa aqui é ter de enrolar o bacon ao redor de cada medalhão e em seguida amarrar com um barbante (vale lembrar que é preciso tirar o barbante antes de servir os filés).


   Fui eu mesma que fiz meus medalhões, limpei a peçade filé mignon e depois cortei medalhões de mais ou menos 100 g, já que aqui em casa ninguém gosta muito de carne mal passada e se eu os cortasse maiores ia demorar mais para cozinharem no meio. Depois de selar na panela, levei os medalhões ao forno para terminar o cozimento e fiz um molho com vinho do porto, vinagre balsâmico e cebolas caramelizadas para despejar por cima deles.


   E esse arroz também é muito simples de fazer, até porque é o arroz branco de sempre cozido com um pouco de vinho branco e as ervilhas frescas. Depois de prontos e cozidos, incorporei queijo gouda ralado para deixar mais gostoso e incrementado.


   Você pode usar outros tipos de queijo que sejam mais fáceis de encontrar ou que você goste mais no arroz e ervilhas congeladas no lugar das frescas, só não troque pelas enlatadas porque não vai dar muito certo!


Cookies de Banana com Paçoca (sem ovos e sem lactose*)

   Quando falo que faço gastronomia, todo mundo acha que eu só fico comendo comida gostosa e que a profissão é fácil, só que a pior parte da para muita gente que faz o curso é realmente isso, como temos que experimentar todos os pratos, é nessa hora que a gente desce do salto e acaba engordando um pouco.


   E se não bastasse comer durante a semana, chega o final de semana é lá estou eu testando as receitas em casa. Resultado: mais uns quilinhos! O jeito então é acabar se rendendo às receitas mais saudáveis, algo que começou a chamar a minha atenção esta semana. Outro dia brincaram comigo se eu conseguia fazer meus doces ainda gostosos, mas sem calorias e eu aceitei o desafio! É claro que sem calorias é impossível, mas comecei a pensar em doces que pelo menos fossem mais saudáveis. Nunca liguei muito para essas neuras de dieta sem glúten, lactose, carboidrato e etc que estão na moda por aí, sou adepta à ideia de que é possível comer de tudo, em pequenas porções e incluindo muitas frutas, legumes e verduras ao longo do dia. Também não sou daquelas pessoas que gostam de fazer exercício físico e até prefiro trocar o ônibus por uma caminhada, o elevador e a escada rolante pelos pés do que ter que passar algumas horas na academia.


   Como primeira receita desta série "saudável", fiz Cookies de Paçoca, outra dica que tive durante as aulas de gastronomia (sim, trocamos receitas o tempo todo). Adoro cookies bem amanteigados e cheios de gotinhas de chocolate derretidas, mas esta minha versão sem ovos, com pouca manteiga e banana na massa não deixou nada a desejar. Usei a banana madura exatamente no lugar dos ovos, para dar liga na massa, e como os amendoins já são bem ricos em óleo, eles entraram na forma de paçoca no lugar da manteiga, só usei um pouquinho dela na massa por medo de não dar certo.


   Para quem quiser uma versão vegana, pode substituir a manteiga por margarina vegetal e assim obter um cookie zero lactose também. Eu até diria que dá para substituir essa gordura por mais 50 g da paçoca, que por sinal, é caseira e feita apenar com amendoins torrados, açúcar demerara e sal. Além do gostinho da paçoca na massa, fiz uns cubinhos de paçoca (acrescentando mel para dar liga e facilitar a modelagem dos cubinhos) para decorar, rechear e complementar o sabor dos cookies, que ficaram com o gostinho da banana, levemente crocantes, molinhos no centro e com os pedacinhos de paçoca no meio de tudo isso. Aromatizei minha massa com baunilha, apesar de que uma canela ia cair super bem também.


   E aproveitando que sobrou um pouco da paçoca misturada com o mel, modelei mais quadradinhos, um pouco maiores do que os dos cookies, para fazer Dadinhos Caseiros, mais saudáveis e com bastante gosto do amendoim, e não de gordura.
   Em relação a quantidade de calorias, pode até ser que seja igual, mas posso com certeza afirmar para você que esses aqui de Banana com  Paçoca Caseira são bem mais saudáveis do que aqueles de manteiga e chocolate que todo mundo adora!

sábado, 1 de novembro de 2014

Blondies com Sorvete de Damasco

   Repost: Versão "loira" do tradicional Brownie de chocolate (confira receitas aqui e aqui), o chamado Blondie, feito com chocolate branco, castanhas, damascos e Leite Ninho.


   Como é a atualização de uma receita já publicada, acabei seguindo a que já existia, mas adaptei algumas coisas, como tirar o fermento em pó, colocar os damascos e um pouco de Leite Ninho na massa. Escolhi salpicar  damascos em cubinhos sobre o meu Blondie porque a intenção original era fazer um Sorvete de Damasco para a sobremesa, mas para não servi-lo sozinho, fiz o Blondie para acompanhar.


   Sorvete de Damasco é um dos meus sabores preferidos, adoro a combinação de massa de creme bem branquinha com os pedacinhos de damascos cozidos em calda meio azedinhos estourando na boca. Não é uma receita muito complexa, é aquela clássica do Sorvete Caseiro Três Leites e do Semifreddo de Doce de Leite


   É só bater creme de leite fresco (eu prefiro usar aquelas natas de potinho, porque ficam com mais consistência) com um pouquinho de açúcar e incorporar os damascos cozidos em água com açúcar. Depois de algumas horas na geladeira ele fica bem cremoso e não forma cristais de gelo. Uma saída para não comprar sorvete industrializado.


   O segredo para o Blondie perfeito é tirá-lo do forno ainda bem molinho. E de preferência servir uns quadrados bem grandes e ainda quentinhos com este Sorvete de Damasco!

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Nhoque Recheado de Frango

    Mais uma vez o Natal está chegando... Digo isso  porque a última vez que postei uma receita de nhoques recheados foi no Natal do ano passado. Parece que faz tão pouco tempo, mas na verdade os Panetones já estão novamente nas gôndolas dos supermercados e os enfeites decorando os shoppings....


    A versão do Natal era recheada com carne e coberta por molho branco com bacon e parmesão. Para mudar, desta vez fiz Nhoques Recheados com Frango e troquei o molho branco com bacon pelo molho de tomates (apesar de achar que eles combinam mais com o molho branco com bastante bacon crocante por cima!). 


   A massa é a mesma, assim como o modo de preparo e a modelagem, só muda mesmo o recheio e o molho. Gosto das duas versões e considero ambas como curingas na hora de preparar refeições para um grande número de pessoas, seja em festas como o Natal ou até mesmo quando apenas vamos receber alguém para um almoço em casa. Se realmente for para muita gente, e como os recheios são de fácil preparo, acho que não custa nada fazer os dois tipos e servir com os dois molhos à parte, até porque esses Nhoques não precisam de grandes acompanhamentos, talvez apenas uma salada como entrada.


    Dá também para rechear apenas com queijos, presunto picado ou outros tipos de frios, criando diferentes combinações. E o legal é que eles podem ser tanto guardados em embalagens hermeticamente fechadas na geladeira ou congelados em embalagens próprias e cozidos apenas no momento de comer.


   Só peço desculpas pelas fotos da modelagem, mais uma vez esqueci de tirar novas para atualizar e por isso tive que usar umas antigas que tinha por aqui.